Casa de Saúde S. João de Deus - Funchal

Estabelecimento de Saúde na área da Psiquiatria, Saúde Mental e Reabilitação Psicossocial, situado na Ilha da Madeira, nos arredores da Cidade do Funchal, foi inaugurado oficialmente em Agosto de 1924.

Serviços / Especialidades

Psiquiatria Aguda - Curto Internamento

UNIDADE DE S. JOSÉ

A Unidade de S. José tem como principal objetivo, prestar cuidados de saúde a pessoas com doença mental em situação de crise, originada por situações de primeiro surto de doença mental, recorrência ou descompensação. Toda a intervenção visa a estabilização clínica, aquisição de competências para lidar com a condição de saúde e o regresso o mais precoce possível ao domicílio, com base num projeto de intervenção designado “o primeiro passo na reabilitação”.

Aqui se inicia ou reinicia um plano terapêutico que completa todo um trabalho de reabilitação psicossocial com intervenções no âmbito da psicoeducação (ao Utente e família) e desenvolvimento pessoal; estimulação cognitiva; treino de aptidões, pessoais e sociais; gestão de tempo; atividades recreativas; intervenção familiar; prevenção da recaída e promoção da adesão terapêutica.

Psiquiatria - Médio e Longo Internamento
UNIDADE S. JOÃO DE DEUS
 
Destina-se a Utentes com doença mental de evolução prolongada, com défices locomotores, com necessidade de ajuda parcial na realização das AVD’s e com pouco potencial para treinos de reabilitação.
 
As atividades desenvolvidas visam manutenção e desenvolvimento de competências pessoais e sociais de forma a facilitar um possível regresso ao domicílio ou o encaminhamento para outras respostas específicas.
 
UNIDADE IRMÃO PIMENTA
 
Destina-se a Utentes autónomos, com potencial para desenvolver capacidades de total autonomia e transitar para projetos mais avançados de reabilitação.
 
Colocamos em prática um programa de atividades que visam o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, com treinos no âmbito da gestão doméstica e autocuidados.
 
UNIDADE IRMÃO MANUEL MARIA
 
Destina-se a Utentes com doença mental de evolução prolongada, semiautónomos, sujeitos a crises frequentes e com pouco potencial para treinos de reabilitação de forma sistematizada. As atividades desenvolvidas visam a manutenção e desenvolvimento de competências pessoais e sociais.
 
UNIDADE S. LUCAS
 
Destina-se a Utentes com doença mental de evolução prolongada, com graves défices intelectuais, com necessidade de ajuda total na realização das AVD´s, e com fraca possibilidade de reinserção social.
 
Psicogeriatria
UNIDADE PSICOGERIATRIA DR. JOÃO ALMADA
 
Destina-se a Utentes com elevado grau de dependência física e psicossocial, com pouca possibilidade desenvolver autonomia, com quadros pré-senis e demenciais. O plano de atividades assenta em cuidados para prevenir ou retardar o desenvolvimento da dependência, bem como prevenir o agravamento da doença. Tem lotação de 20 camas.
 
Alcoologia

CENTRO DE RECUPERAÇÃO ALCOOLOGIA S. RICARDO PAMPURI

O Centro de Recuperação S. Ricardo Pampuri iniciou a sua atividade em novembro de 1979, sendo atualmente a única unidade na Região Autónoma da Madeira específica para o tratamento de pessoas com problemas ligados ao álcool. Tem como principal objetivo, tratar a pessoa com dependência alcoólica pela desintoxicação orgânica e pela reabilitação psicológica, familiar e social.

Realiza toda a sua intervenção interdisciplinar com base num programa de quatro semanas, que inclui, dinâmicas de grupo, psicoeducação e desenvolvimento pessoal, os quais têm como objetivos: aquisição de conhecimentos sobre a sua patologia; motivação para o tratamento; promover a recuperação física; treino de competências pessoais e sociais; estimular a cognição; promoção do movimento/relaxamento; melhorar a autoestima; promover a reinserção social; treinar estratégias para a resolução de problemas/conflitos; promover os grupos de autoajuda; promover a socialização.

Reabilitação Psicossocial: Residencial

UNIDADES INTRAINSTITUCIONAIS

CORAGEM – UNIDADE DE APOIO MÁXIMO

Destina-se a pessoas com elevado grau de incapacidade psicossocial, clinicamente estabilizadas, impossibilitadas de serem tratadas no domicílio por ausência de suporte familiar ou social adequado, com o objetivo de proporcionar cuidados que previnam ou retardem o agravamento da situação de dependência.

Tem como objetivos específicos: treino de competências das atividades de vida diária, promoção da socialização, integração dos utentes em atividades de ergoterapia e atelier; promoção de competências que visem a melhoria da qualidade de vida e o aumento do desempenho das atividades diárias, visando a sua progressão para unidades com menor grau de incapacidade psicossocial.

CAMINHO – UNIDADE DE APOIO MODERADO

Destina-se a pessoas com moderado grau de incapacidade psicossocial, clinicamente estabilizadas, impossibilitadas de serem tratadas no domicílio por ausência de suporte familiar ou social adequado, sem resposta de inserção social a curto e médio prazo.

Tem como objetivos específicos: promoção de competências para a melhoria da qualidade de vida e para a realização das atividades de vida diária, gestão da medicação, gestão do dinheiro, gestão do tempo, utilização dos recursos da comunidade; promoção de competências de socialização e resolução de problemas, integração em atividades de ergoterapia. O alcance destes objetivos, visa a transferência para uma residência com maior nível de autonomia.

LUCENA – RESIDÊNCIA TREINO AUTONOMIA

É uma residência intrainstitucional e destina-se ao desenvolvimento de programas de reabilitação psicossocial para pessoas com moderado e reduzido grau de incapacidade psicossocial, estabilizadas clinicamente com alguma funcionalidade conservada.

Tem como principal finalidade, a preparação do regresso ao domicílio, ou transição para outra residência com maior grau de autonomia funcional, através da aprendizagem de conhecimentos e competências que facilitem a adoção de comportamentos mais adaptativos no sentido de promover, através da autodeterminação, um aumento do funcionamento global e uma maior capacidade de resolução de problemas.

ELVIRA – RESIDÊNCIA TREINO AUTONOMIA

Esta residência intrainstitucional destina-se ao desenvolvimento de programas de reabilitação psicossocial para pessoas com moderado e reduzido grau de incapacidade psicossocial, estabilizadas clinicamente com alguma funcionalidade conservada.

Tem como principais objetivos: manutenção da qualidade de vida, preparação do regresso ao domicílio ou a manutenção dos laços com o mesmo; transição para outra residência com maior grau de autonomia funcional; manutenção das competências adquiridas ao longo do processo de reabilitação, e promoção de competências nas áreas da socialização, comunicação e resolução de conflitos, de modo a promover, através da autodeterminação, um aumento do funcionamento global e uma maior capacidade de resolução de problemas.

 

UNIDADE EXTRA–INSTITUCIONAL

RESIDÊNCIA ESTRELÍCIA

Destina-se a pessoas com reduzido grau de incapacidade psicossocial, clinicamente estabilizadas, sem suporte familiar ou social adequado. Tem por finalidade proporcionar suporte residencial, integração em atividades de socialização e de formação ou emprego, promovendo melhor qualidade de vida e maior participação social.

Tem como objetivos: promoção do aumento da autonomia e da qualidade de vida; reinserção comunitária e a utilização adequada dos recursos; promoção da consciencialização da doença e responsabilização pelo seu próprio tratamento; autogestão das atividades de lazer e promoção do aumento da autoestima e da autodeterminação.

Reabilitação Psicossocial

A vertente Ocupacional comporta várias atividades de ergoterapia e atividades de atelier produtivas e não produtivas. Esta vertente está vocacionada para a integração ocupacional de utentes nos vários serviços e sectores da instituição, como por exemplo, manutenção, agropecuária, bar, cozinha, lavandaria, jardinagem, secretaria, biblioteca, ensino recorrente, serviço de paquete, limpezas, serviço religioso, ateliers de artes plásticas e de expressão dramática, e no serviço da Pastoral.

Apoio Domiciliário

PROJETO JUNTOS NO CUIDAR

OBJETIVO GERAL

Prestar cuidados de saúde na área da saúde mental e psiquiatria, em contexto domiciliar, a pessoas portadoras de uma doença mental grave e seus familiares.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Apoiar a pessoa Portadora de Doença mental e família no domicílio;
  • Promover competências na pessoa Portadora de Doença e na família;
  • Identificar precocemente sinais de alerta e adequar a resposta interventiva;
  • Prevenir a recaída e reinternamento;
  • Dotar/capacitar a pessoa  para a plena  reintegração social;
  • Melhorar a  qualidade de vida dos utentes e dos cuidadores informais.

POPULAÇÃO ALVO

  • ≥ de 18 anos de ambos os géneros
  • Residentes na freguesia de Santo António
  • Portadores de doença psiquiátrica com necessidade de intervenções psicoterapêuticas
  • Sem perturbações de desenvolvimento (debilidade intelectual).
  • Sem Doença mental orgânica

Número máximo de acompanhamentos durante 1 ano: 15 utentes

Ficha de Referenciação (download).

Solicite mais informação através do e-mail: juntosnocuidar.funchal@isjd.pt

Admissão de Utentes

Acolhemos todas as pessoas que necessitam de tratamento nas vertentes de doença mental aguda e/ou de evolução prolongada, dependências e reabilitação psicossocial.

O utente ao chegar à Casa de Saúde deve dirigir-se à área administrativa a fim de efetuar a sua admissão, sendo de seguida acolhido por um(a) enfermeiro(a) que o informará de tudo o que necessita saber sobre a sua estadia na instituição

Documentos necessários:

  • Credencial médica de internamento (emitida por médico psiquiatra – medicina convencionada ou pública) com situação clinica e proposta terapêutica para internamento;
  • Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão;
  • Cartão de Subsistema de Saúde;
     

O que deve trazer

  • Os medicamentos que toma em casa, prescritos pelo médico, devem ser entregues ao enfermeiro do serviço.
    Exames e informações médicas recentes (como por ex.: análises clínicas, RX, ecografias, eletrocardiogramas, etc.)
  • Objectos de uso pessoal, tais como: pijama, chinelos, roupa interior, e roupa de uso pessoal diário e alguns produtos de higiene.
  • Não nos responsabilizamos pelo tratamento da sua roupa pessoal. Por favor, solicite ao seu  acompanhante / familiar para o fazer.

 

O que deve evitar trazer

Aconselhamos a não trazer objectos de valor (tais como: dinheiro, jóias, relógios, telemóveis, entre outros). Se não tiver outra opção, por favor, entregue-os aos seus familiares ou ao pessoal de enfermagem que o atende, para que este proceda à sua guarda. Somente nos responsabilizaremos pelos objectos que nos forem entregues.

Certificações

A Casa de Saúde S. João de Deus está certificada pelo sistema EQUASS Assurance in Social Services nos seguintes domínios:

Serviço de Reabilitação Psicossocial: Valências Residenciais e Ocupacionais;

Serviço de Alcoologia: Centro de Recuperação de Alcooólicos S. Ricardo Pampuri

Quem Somos

Sobre nós

A Casa de Saúde S. João de Deus - Funchal assiste todas as pessoas do sexo masculino da RAM e outras que se encontrem a residir temporariamente, ou de visita. Assiste também pessoas do sexo feminino no Centro de Recuperação Alcoologia S. Ricardo Pampuri.

O seu quadro de pessoal é composto por cerca de 150 Colaboradores, entre técnicos e não técnicos. Dispõe de 270 camas, distribuídas por várias unidades: Unidade de Agudos, Centro de Recuperação de Alcoologia, quatro Unidades de Reabilitação Psicossocial, quatro Unidades de evolução prolongada e uma Unidade de Psicogeriatria. Possui ainda na comunidade, uma Residência Autónoma de Saúde Mental, com capacidade para seis clientes.

Neste estabelecimento de saúde, desenvolvem-se múltiplas intervenções no âmbito da Prevenção/Promoção, Tratamento e Reabilitação de pessoas portadoras de doença mental. Damos igualmente especial atenção aos familiares, à comunidade, aos parceiros e restantes stakeholders.

A Casa de Saúde S. João Deus-Funchal está atenta às transformações demográficas, sociais e familiares e sensível às novas necessidades, encontrando-se disponível para em parceria constituir novas respostas quer no âmbito da saúde quer de âmbito social.

Valorizamos a nossa responsabilidade social interna e externa. Internamente damos especial atenção a princípios como: liderança, direitos, ética, recursos humanos, orientação para resultados e melhoria contínua, abordagem centrada no cliente de forma abrangente e participada num trabalho de parceria. Na vertente externa, para além do contributo no restabelecimento da saúde e reintegração social das pessoas portadoras de doença mental, realizamos anualmente educação para a saúde, na vertente da prevenção das dependências, dirigidas à Comunidade escolar, Centro de Segurança Social e Instituições cuja missão esteja focalizada na área social e da saúde.

A Casa de Saúde S. João de Deus tem acordos de cooperação com o Governo Regional da Madeira, acordos com os sub-sistemas ADSE, ADM, ADMG e com o Ministério da Justiça.

 

Direção

Diretor: Dr. João Eduardo Lemos
Director Administrativo e Financeiro: Dr. Luís Miguel Xavier Ribeiro
Director Clínico:Dr. Luís Filipe Santos Fernandes
Director de Enfermagem: Enf. Manuel António Batista Freitas
Responsável da Pastoral da Saúde e Social e da Animação: Rute Marina Sá Freitas

Superior da Comunidade: Ir. Luís Vieira 

Equipa

A Casa de Saúde S. João de Deus-Funchal integra no seu quadro de pessoal

Médicos: Psiquiatras e Clínicos Gerais

Enfermeiros

Psicólogos

Assistentes sociais

Terapeutas ocupacionais

Monitores de ocupação

Administrativos

Auxiliares

Técnicos de manutenção

História

A Madeira, conhecida como pérola do Atlântico é uma ilha com paisagens fabulosas que os homens admiram, porque ainda não há obra humana que consiga igualar a da natureza. De facto, entre os verdes dos campos, as cores das mais variadas e raras espécies florais, o azul do mar e as sombras das montanhas, encontramos o que faz desta paragem no meio do oceano, algo de paradisíaco. Até há poucas décadas atrás, era difícil deslocar-se na Madeira. A alguns sítios só se chegava por mar. Foi assim que os corajosos Irmãos que vieram a fundar a Casa de Saúde S. João de Deus encontraram esta terra.

Não nos detendo demoradamente sobre a Quinta do Trapiche, importa mencionar que esta aparece referenciada ao séc. XVIII, tendo pertencido à família Gouveia que, nela, edificou uma casa solarenga.
Em 1907 a sua proprietária, D. Maria Paula Rego, tinha prometido ao Senhor Bispo do Funchal, D. Manuel Agostinho Barreto, oferecê-la à Ordem de S. João de Deus, para que os Irmãos viessem fundar uma Casa de Saúde para doentes mentais. Quando os Hospitaleiros, contactados pelo Bispo, vieram à ilha conversar com a senhora, esta informou-os que havia mudado de ideias. De facto tinha sido influenciada por alguns membros da maçonaria nesse sentido (haviam-lhe falado do perigo de aumentar o jesuitismo na Madeira).

Em 1920 Os Irmãos Elias Pereira de Almeida e Manuel Maria Gonçalves voltaram a esta ilha porque se discutia na Junta Geral a possibilidade de a Ordem de S. João de Deus tomar a seu cargo o Manicómio Câmara Pestana. A polémica foi acesa e nada se conseguiu. Os Religiosos regressaram ao Continente, como em 1907, sem qualquer sucesso. Estando o Senhor Bispo do Funchal disposto a ceder aos Irmãos a parte da Quinta do Trapiche que havia sido doada pela Senhora Maria Paula Rego à diocese, a 22 de Fevereiro de 1922 embarcaram para o Funchal os Irmãos António Maria Rodrigues (madeirense) e Manuel Maria, que viria a ser o primeiro Superior da Casa de Saúde do Trapiche. Com o pretexto de irem fazer um peditório para o Telhal, foram estudar a possibilidade de fundarem a instituição.

O primeiro doente foi internado no dia 19 de Outubro de 1923. No dia 21 de Maio do ano seguinte, a Casa de Saúde do Trapiche recebeu trinta e oito doentes, homens que se encontravam no Manicómio Câmara Pestana. De facto, na véspera tinha sido efetuado o contrato entre a Junta Geral do Distrito do Funchal, entidade de governo próprio da Região Insular da Madeira e a Casa de Saúde S. João de Deus, segundo o qual os Irmãos se comprometiam a receber os doentes do sexo masculino do Manicómio, bem como todos os que a referida Junta Geral enviasse.

O pagamento efetuado comprometia os Irmãos a satisfazerem todos os encargos com a assistência dos doentes internados.

À época, os acessos eram difíceis e a Casa de Saúde do Trapiche situa-se numa alta colina. Os doentes foram transportados de camioneta até onde era possível. Os que podiam, subiram a ladeira a pé. Os outros transpuseram tão íngreme caminho às costas dos Irmãos de São João de Deus que os receberam. Cabe fazer uma referência ao Dr. João Francisco de Almada, que de forma empenhada contribuiu para a fundação da Casa de Saúde S. João de Deus, tendo sido o seu primeiro Diretor Clínico, até ao seu falecimento, desempenhou estas funções como voluntário, sem qualquer tipo de remuneração.

No dia 10 de Agosto de 1924 foi inaugurada oficialmente a Casa de Saúde S. João de Deus, tendo sido celebrante da Eucaristia o então Provincial, Padre Juan Jesus Adradas (Irmão espanhol) e efetuado a homilia o Bispo do Funchal, D. Manuel Pereira Ribeiro. Não pode deixar de se sublinhar o quanto era difícil, à época, a vida no Trapiche.

A pobreza em que os Irmãos viviam, a distância a que se encontravam de tudo (para irem à cidade do Funchal tinham que ir a pé por atalhos, já que os carros não chegavam lá acima), a falta de água potável. Enfim, foi o povo madeirense que, em verdadeiro exemplo de solidariedade, muito os ajudou.

As romagens e os donativos que traziam, a oferta de nascentes de água acima do Sítio do Trapiche, tornaram possível que a obra continuasse, que os doentes fossem bem tratados e que os Irmãos se sentissem felizes na vivência da Hospitalidade nestas paragens. O povo Madeirense foi generoso para com os irmãos S. João Deus, tendo contribuído com recursos importantes para que eles multiplicassem os dons que queriam partilhar na opção de vida que haviam feito: o amor, a caridade, a dedicação e a entrega ao alívio do sofrimento. Os materiais para as primeiras edificações foram transportados às costas porque não havia qualquer alternativa; faltavam as estradas e os terrenos eram muito inclinados.

A título de curiosidade refira-se que o número mais elevado de doentes que chegaram a habitar esta Casa de Saúde foi, em 1976, de quinhentas e seis pessoas internadas.

É desejo de todos que a Casa de Saúde S. João de Deus continue a ser digna da sua história e da obra dos Irmãos que nela trabalharam, e nos e nos que hoje lhe dão continuidade, Irmãos, colaboradores, voluntários e benfeitores.

Contatos

  •  Telefone

    (+351) 291 741 032

  •  Morada

    Caminho do Trapiche (Caixa postal 4376)

    9020-126 FUNCHAL

  •  Email

Visitas

  •  #COVID-19

    A realização da visita requer um agendamento prévio. Contacte a CSSJD-Funchal por telefone ou e-mail.

     

    As visitas têm, nesta fase, uma duração de 30 minutos. Se nos últimos 14 dias teve sintomas sugestivos de COVID-19 ou tenham estado em contacto com casos suspeitos ou confirmados não deve realizar visitas.

     

  • Medidas implementadas:

    É elaborado um registo de visitantes.

    Deve cumprir com as medidas de distanciamento físico, etiqueta respiratória e higienização das mãos.

    É obrigatória a utilização da Máscara, preferencialmente cirúrgica.

    Não pode trazer objetos pessoais, géneros alimentares ou outros produtos.

    Os visitantes apenas poderão circular nos circuitos delimitados para o efeito.

    Para mais informações solicite o Regulamento para Visitas do Plano de Contingência da CSSJD-F #COVID-19

Candidaturas

 

Agradecemos o seu interesse em trabalhar connosco. Envie o seu CV para cssjd.funchal@isjd.pt.

A Carregar Informação